terça-feira, 28 de abril de 2009

Energia Solar ...



Hoje, decidi fazer algumas pesquisas na Internet sobre Energia Solar e descobri coisas que não imaginava que fossem associadas a este tipo de energia, mas no mau sentido. Assim, no "site" da S.P.E.S. (Sociedade Portuguesa de Energia Solar) encontrei uma ligação para "Empresas" na qual figura uma série de empresas ou organizações que nada ou muito pouco têm a ver com a dita energia, como por exemplo um endereço para o Corpo Nacional de Escutas que o "browser" que utilizei não conseguiu encontrar.
Fiquei a saber que a tal S.P.E.S. organiza um "Concurso Solar Padre Himalaya" do qual nunca tinha ouvido falar, mas resolvi pesquisar quem foi o tal Padre Himalaya e descobri que tinha inventado um aparelho chamado de "Pireliófero" cuja definição que encontrei na Wikipédia é a seguinte: "o pireliéforo é uma estrutura composta por inúmeros espelhos que tendem a reflectir a luz para um único ponto com vista a fundir materiais". Mas o que tem isto a ver com Energia Solar? Penso eu que nada.
A dita S.P.E.S. tem também uma ligação para "sócios" na qual está indicada uma conta bancária e o valor das quotas para sócios estudantes, individuais ou colectivos. Ou seja, estão à procura de dinheiro, uma vez que qualquer pessoa se poderá inscrever.
Quando tanto de positivo há para dizer sobre energia solar, é lamentável que isto suceda, assim como é lamentável que o actual Governo tenha alinhado numa campanha de financiamento para particulares que apenas beneficia duas empresas e dois bancos, sendo que uma das empresas é até acusada de que o produto que se propõe vender ao abrigo do dito programa não é considerado como sendo energia solar. E ainda diz o lema da dita campanha que "o Sol quando nasce é para todos".
Melhor seria que o Governo definisse as regras gerais para o dito programa de financiamento e deixasse que o mercado funcionasse, porque se o critério é ao que parece que os equipamentos sejam produzidos em Portugal, isso abre a porta aos oportunistas que apenas vêem no dito programa uma oportunidade de negócio, sem se preocuparem com a qualidade e eficiência energética dos equipamentos que comercializam.
Outra coisa com que não concordo é com a imposição de tectos máximos para a quantidade de energia que pode ser obtida com a energia solar, especialmente na sua vertente fotovoltaica.
Parece-me que o lobby "anti-energia solar" está a ganhar terreno, não só em Portugal. Por exemplo em Espanha, que parece que era o país ou um dos países com maior crescimento anual neste tipo de energia, as últimas medidas decretadas pelo respectivo Governo já estão a desencorajar algumas empresas, havendo já casos de fecho de fábricas e deslocalizações para outros países. Seria uma boa oportunidade de captar investimentos, se bem que a actual crise económica mundial tenha também alguma influência no desinteresse de algumas empresas.
Eu estou pessoalmente convencido que a próxima grande revolução tecnológica mundial será a "revolução do Sol". Talvez até tenha influência na organização da sociedade em geral e na mentalidade dominante nas diversas sociedades.
Uma nota final para as fotos que escolhi para ilustrar este artigo: a de cima foi obtida em http://www.seat.com e ilustra o tecto de abrir com células solares fotovoltaicas comercializado como opcional no novo Seat Exeo; a de baixo é uma foto pessoal obtida por mim enquanto viajava no comboio Alfa Pendular numa viagem a Lisboa que fiz no início deste mês.
Até à próxima de ...
Sempre Te Espero

Sem comentários: