domingo, 15 de março de 2009

Divagações Aéreas ... acerca das "Red Bull Air Race" no Douro



"Sensaçao de voo" em 2007 e "levantar as nuvens" em 2008 ... agora vou descansar mas para não me esquecer do tema escrevi isto. Mais logo continuo

Cá estou eu a continuar este "post", embora o tivesse pensado fazer mais cedo contingências várias só agora me permitiram fazê-lo.
Assim vou neste artigo resumir ou tentar resumir as minhas sensações como espectador nas "Red Bull Air Race" no rio "Douro" entre as cidades de "Vila Nova de Gaia" e "Porto" em 2007 e 2008:
Comecei este artigo sugerindo que em 2007 tive sensação de voo. Porquê? ... bom é um pouco difícil de explicar ou melhor de converter em palavras aquilo que senti ao ver aquelas pequenas máquinas voadoras evoluirem nos ares, em alguns pontos quase tocarem as águas do rio.

Recordo-me de durante a manhã ter ido à "Póvoa de Varzim", utilizando para o efeito o metro e comecei a imaginar o mar de gente que iria encher aquelas duas cidades, tal era a quantidade de pessoas que ia vendo nas diversas estações do metro e dentro dos veículos que se cruzavam com aquele em que eu seguia em direcção à Póvoa. Então, na estação da "Póvoa" a fila de pessoas para comprarem e / ou validarem os bilhetes era impressionante. Depois, no meu regresso a casa experimentei ao vivo viajar no metro superlotado (embora tenha escapado a estar na fila porque tinha passe), se bem que a vontade das pessoas em assistir ao vivo àquele inédito e excelente espectáculo superava toda e qualquer contrariedade que pudesse surgir. Lembro-me mesmo que quando ia a sair na estação de "Modivas Sul" quase era obrigado a continuar a viagem, porque mesmo com o metro já superlotado e embora eu fosse perto de uma das portas, aqueles que queriam entrar quase me impediam de sair. Ah! recordo-me que tinha comprado um "pack" de "Red Bull" que era visível no saco plástico que trazia comigo, o que para alguns talvez indiciasse que o meu destino era mesmo prosseguir viagem até ao "Porto". E era, mas só depois de ir a casa levar a "bagagem". Assim, depois de almoço, lá fui eu até ao "Porto" e os metros continuavam superlotados, mas a vontade das pessoas superava tudo e todos. Se bem me lembro, escolhi sair no "Bolhão" porque quando ia a sair na "Trindade" um outro passageiro parece que estava cheio de pressa pelo que decidi continuar até ao "Bolhão". Depois, lá fui descendo em direcção ao rio, apercebendo-me de imediato da enorme quantidade de pessoas que literalmente enchiam a cidade. Olhei para o lado de "Gaia" e o espectáculo era o mesmo. Lá fui descendo e ... à beira-rio propriamente dito nem pensar, porque para baixo do patamar onde fica a "Alfândega" era literalmente impossível ir, pelo que fui ficando por aí; ficando e caminhando até que comecei a ver os pequenos aviões evoluirem nos ares. E foi aqui que senti algo dentro de mim que me transportava o pensamento e o espírito para dentro das pequenas máquinas. Só o meu corpo parecia estar no local em que me encontrava e o calor apertava, apertava tanto que eu lá ia caminhando pela "Rua Nova da Alfândega" buscando por algum cantinho protegido do Sol e que me permitisse ver algo do espectáculo. Pois, querias, pensei para mim próprio e fui pensando em alternativas, como talvez ir subindo e lá fui eu pelas "Escadas da Vitória" acima, mas o calor era tanto que a ideia de regressar mais cedo começou a germinar no meu pensamento, até porque evitaria as enchentes no metro durante o regresso e possivelmente ainda chegaria a casa a tempo de ver na TV a parte final das provas. E assim fiz e posso dizer que mais gente pensou o mesmo, embora não de forma a superlotar os veículos do metro que circulavam àquela hora, mas posso dizer que no sentido contrário ainda iam bastante cheios.

Mas aquela sensação de voar continuava a acompanhar-me e eu ia pensando na liberdade de espírito que aqueles pilotos sentiriam e lá cheguei a casa e ainda as provas não tinham acabado.

Mas mesmo em casa parecia que o meu espírito voava ...

A minha experiência de 2008 fica para outra mensagem, porque esta já vai mais longa do que eu pensava quando comecei a escrevê-la.

Para terminar, só mais uma coisa: o espectáculo em si é excepcional (e eu que gosto de corridas de automóveis ainda não fui às da "Boavista" e não sei se irei este ano), mas aquela enorme quantidade de gente que invadiu as duas margens do "Douro" era ainda mais excepcional ... julgo que nem as Festas da Cidade, vulgo "S. João", nem os festejos dos adeptos do "Futebol Clube do Porto" aquando das suas vitórias em competições nacionais ou internacionais conseguem atrair tanta gente às cidades do "Porto" e de "Vila Nova de Gaia".

Até logo ... porque o dia 17 de Março de 2009 já vai na sua primeira hora de ...

... Sempre Te Espero ...

Sem comentários: