quarta-feira, 29 de novembro de 2006

Arte Digital ... sim ou não?


Hoje, o Sol que fez sentir o seu brilho nas cercanias do local em que habito inspirou-me a fazer uma imagem usando o MicroGrafx WindowsDraw6 Special Edition.

Esta imagem foi realizada a partir de uma foto real obtida por satélite que encontrei no "Google Earth".

Não ofereço prémios a quem tentar adivinhar, mas dou uma pista: é um local que durante muitos séculos travou o desenvolvimento, a ciência, a paz ...

Até breve!

terça-feira, 28 de novembro de 2006

Galáxias


Energia Solar e "forças de bloqueio"

Para me ir habituando a escrever neste meu blog mais frequentemente, aqui estou eu com mais algumas achegas às "forças de bloqueio" que em Portugal e na União Europeia insistem em não ver a realidade que actualmente vivemos no nosso planeta:
hoje, nas cercanias do local em que habito, o Sol - essa estrela brilhante que rege todo o nosso planeta - decidiu iluminar-nos com alguma intensidade, talvez para que os fanáticos de alguns sistemas políticos e de algumas religiões tenham mais uma oportunidade de reflectir sobre os investimentos a fazer no presente nas chamadas "energias renováveis".
Como se viu nos últimos dias, ventos fortes provocam chuvadas ainda mais fortes, enxurradas, cheias, um elevado número de dificuldades aos habitantes do planeta. Na minha opinião, a energia eólica serve principalmente os interesses de políticos e de homens de negócios que apenas vêem nas "energias renováveis" uma oportunidade de negócio.
A energia solar, a energia do futuro que poderia estar já muito mais desenvolvida no presente, é um tipo de energia que não interessa aos "interesses instalados" e para compensar isso convencem os políticos a aplicar medidas que a tornam mais cara, encontram muitas maneiras de dificultar a atribuição de licenças de produção e a instalação de painéis solares.
Preocupam-se mais com uma certa viagem que um certo homem anda a fazer na Turquia e que diz ser o seguidor daquele que disse "eu sou a raiz e geração de david, a brilhante Estrela da Manhã" do que em fomentar rápidamente o desenvolvimento da energia do futuro.
Por estes caminhos, dentro de muito poucos anos o planeta sofrerá os efeitos de tantas e tão pequenas tempestades solares que o tornarão quase não-habitável.
Talvez isso tenha de acontecer para que os Novos Inquisidores e os seus seguidores entendam que o falso que comanda o Vaticano e o outro que parece não ter nome e que parece ter um número infindável de duplos que quer expandir-se da antiga Pérsia, estão claramente do lado errado.
Até breve!

segunda-feira, 27 de novembro de 2006

O mau tempo continua

Pois bem, esta foi mais uma noite com muita chuva e muito vento. Depois de estar algum tempo ligado ao site da banda musical "La Oreja de Van Gogh" fui para a cama porque a inspiração para escrever alguma coisa e a vontade de estar mais algum tempo a navegar na Net tinham desaparecido. Talvez por influência da chuva e do vento que se faziam sentir no exterior da casa em que habito, o sono não veio logo ter comigo. Assim, depois de beber alguns copos de Coca-Cola e de fumar alguns cigarros, desliguei a música da banda conhecida pelas iniciais "LOVG" e apaguei a luz do meu quarto. Lá fora, a chuva continuava a cair incessantemente, de vez em quando acompanhada por algumas rajadas de vento de média intensidade. Neste momento em que escrevo, ainda não sei quais as consequências que estes factores climáticos provocaram nas vias de comunicação terrestres, mas é muito provável que em alguns locais se transite com bastante dificuldade.

Mais logo, pela manhã desta segunda-feira, 27 de novembro de 2006, espero poder avaliar melhor a situação, dado que tenho de me deslocar a Vila do Conde para tratar de assuntos relacionados com um acidente de que a minha mãe foi vítima em 8 de setembro de 2005 e do qual ficou com incapacidades físicas que lhe permitam mover-se pelos seus próprios meios.

Assim sendo, espero mais logo conseguir escrever algo mais.


Até breve!

domingo, 26 de novembro de 2006

Chuvas, ventos e trovoadas

Hoje, domingo 26 de novembro de 2006, o clima cá pelos lados em que habito voltou a estar chuvoso, depois de ontem (sábado) a estrela de que tanto gosto, o Sol que ilumina todo o nosso planeta ter decidido responder a uma necessidade minha e assim permitiu-me sair de casa e voltar sem que eu tivesse sido obrigado a abrir o guarda-chuva. Foi um dia em que o calor emitido pelos raios solares permitiu que as águas das chuvas que tinham caído abundantemente na sexta-feira, 24 de novembro, seguissem o seu caminho sem provocar mais dificuldades às pessoas que precisavam de circular pelas ruas. Mas, nesse dia (sexta-feira) houve também ventos muito fortes que fizeram sentir a força dos seus sopros na queda de algumas árvores. Uma das consequências foi o corte parcial de uma das linhas do Metro do Porto na ligação à Póvoa de Varzim. Ontem, à noite senti também algumas anomalias na rede eléctrica e trovoadas de curta duração mas de forte intensidade.

Tudo isto me faz continuar a desejar mais dias de Sol brilhante que espero em alguns dos próximos dias.


Até breve!

quinta-feira, 23 de novembro de 2006

Dificuldades de navegação na Web

Bem, há alguns dias atrás tive problemas com o computador que me obrigaram a fazer uma recuperação do sistema e posteriormente uma reinstalação completa. Agora, são os dois browsers que utilizo que me estão a "dar a volta à cabeça": o MS Internet Explorer encerra frequentemente por ele próprio, enquanto que o Mozilla Firefox insiste em trabalhar lentamente. Assim sendo, vou dormir umas horas. Até logo!

terça-feira, 21 de novembro de 2006

Melancolia de Outono



Hoje, tal como nos últimos dias, o tempo por estes lados do planeta Terra esteve nublado e chuvoso. Dias como estes transmitem-me um sentimento de melancolia e o pior de tudo é que começa já a tornar-se rotineiro este tipo de clima. E eu não gosto nada de rotinas, detesto fazer todos os dias as mesmas coisas, às mesmas horas, detesto dias seguidos sem praticamente ver a estrela que ilumina o nosso planeta - o Sol - detesto dias seguidos em que não posso dar uma longa caminhada, seja junto ao mar ou simplesmente passeando pelas ruas. Sim, se há coisa que eu mais detesto é passar um dia no fim do qual não sinta que foi diferente do anterior pelo menos em qualquer pormenor que o fizesse diferente do dia anterior. Por isso, já estou com saudades de um dia em que predomine o brilho dos raios solares, porque é nesses dias que melhor consigo quebrar as minhas rotinas diárias... espero que em breve.
Cumprimentos a tod@s @s que me lêem.

sábado, 18 de novembro de 2006

Uma imagem e algumas palavras

Esta semana quase não escrevi nada aqui neste meu espaço na Web. Talvez porque o Sol. a nossa bela estrela andou um pouco afastado da zona em que vivo, cedendo o brilho dos seus raios à chuva que caiu abundantemente nos últimos dias, por vezes acompanhada por fortes rajadas de vento. Assim, hoje resolvi publicar esta foto que obtive no sábado passado (11 de Novembro) enquanto caminhava a pé entre Vila do Conde e Póvoa de Varzim que são duas cidades que se confundem uma com a outra (a distância entre os respectivos centros é de cerca de 3 kms) de tal forma que quando nos passeamos junto ao mar dificilmente nos apercebemos que estamos a sair de uma dessas cidades e a entrar na outra. No entanto têm as suas diferenças, sendo a Póvoa de Varzim mais cosmopolita, com prédios mais altos enquanto que Vila do Conde é mais recatada, mais aristocrática, com uma vida social menos animada. São duas cidades unidas pelo mar, um mar que parece abrir o horizonte para distâncias que ultrapassam a capacidade visual dos seres humanos.

segunda-feira, 13 de novembro de 2006

Procriação Médicamente Assistida e a Igreja Católica

Li hoje no "Jornal de Notícias" que a Igreja Católica Portuguesa se prepara para pedir a realização de um referendo sobre procriação médicamente assistida. Que pretende a Igreja Católica? Obrigar o país a desperdiçar fundos na realização de um referendo sobre uma matéria que por enquanto me parece ser principalmente do foro científico? Obrigar o povo português a manifestar a sua opinião numa matéria que nem sequer é ainda suficientemente conhecida para que as pessoas tenham opinião própria? Ou será este mais um passo para algo que parece estar a desenhar-se com vista a criar no futuro uma sociedade portuguesa em que a igreja católica seria uma espécie de " autoridade social " que definiria as regras gerais da legislação aprovada no Parlamento? Qualquer coisa com semelhanças ao regime vigente no Irão em que até mesmo os candidatos a eleições têm de ser aprovados pelas autoridades religiosas.

Ao longo dos tempos a igreja católica travou o desenvolvimento, a investigação, a ciência. Foi assim com Copérnico e com Galileu e continua nos tempos actuais. É lamentável que muitas pessoas de elevado nível intelectual não tenham coragem suficiente para desmascarar a crescente idolatria incentivada pelo anterior Papa, João Paulo II, que nos últimos anos do seu pontificado ficou célebre pela quantidade de beatificações e santificações que patrocinou, em claro contraste com os ensinamentos de Jesus Cristo há cerca de 2000 anos atrás.

Termino por agora com uma citação bíblica de Apocalipse, capítulo 22, versículo 16:
" Eu, Jesus, enviei o meu anjo para testificar estas coisas às igrejas. Eu sou a raiz e a geração de David, a brilhante Estrela da manhã. "

Saudações de Sempre Te Espero!

domingo, 12 de novembro de 2006

Comunicabilidade através da Estrela



O texto seguinte foi inicialmente escrito em Outubro de 2002 pelo autor deste blog sob a forma de carta:


COMUNICABILIDADE ATRAVÉS DA ESTRELA

(no nosso planeta Terra, a estrela é o Sol).


Aqueles que usam a Ciência para impor novas formas de obscurantismo, extremismos ou fundamentalismos são inimigos da própria Ciência que dizem defender.


O Sol é a Estrela que supervisiona todo o nosso planeta Terra. Todos nós, seres humanos, podemos comunicar uns com os outros usando as potencialidades que a Estrela Sol nos disponibiliza e nos vai transmitindo através da inteligência. Isto pressupõe a inexistência de raças ou religiões dominantes. Nenhum ser humano tem o direito de se considerar único representante da Estrela no planeta Terra, porque qualquer um de nós pode comunicar com a Estrela e através da Estrela.


A Estrela Sol supervisiona o Sistema Solar. De acordo com esta teoria, da qual estou apenas a ser o transmissor, considero que provavelmente existirão outras estrelas que supervisionam os seus próprios sistemas e que algures no Universo deverá existir uma entidade que coordena todas as estrelas. No meu entendimento, essa entidade é aquilo a que os Cristãos chamam Deus (em Inglês God). Segundo o livro que os Cristãos usam como referência, a Bíblia, essa entidade enviou ao planeta Terra um seu representante, o qual na época em que foi enviado, não foi compreendido. No entanto, avisou os habitantes do planeta Terra, que não adorassem ou venerassem (ou qualquer outro sinónimo) qualquer imagem incluindo dele próprio. Também não nomeou qualquer representante. Apesar disso, existe no planeta Terra uma organização que se diz única e legítima representante desse enviado que os Cristãos identificam por Jesus Cristo, que vive fartamente desse culto de imagens, que dá pelo nome Igreja Católica e Apostólica Romana, cujo chefe máximo dizem ser o sucessor do apóstolo Pedro, o qual por sua vez teria sido nomeado por Jesus Cristo para lhe suceder após o regresso deste ao ponto do Universo de onde tinha sido enviado. Ainda recentemente, tivemos em Portugal um claro exemplo dessa crescente idolatria, quando a propósito do 1º aniversário dos acontecimentos de 11 de Setembro de 2001 nos E.U.A. resolveram criar em Portugal mais uma dessas imagens – A Nossa Senhora do AR – o que mostra que essa idolatria consegue atingir mesmo camadas da população de nível intelectual superior ( dado que teve o patrocínio do presidente da Associação de Pilotos de Linha Aérea). Isto parece indicar um caminho para uma espécie de fundamentalismo no chamado “ mundo cristão ”.


Para sintetizar melhor o meu pensamento, penso vagamente nesta teoria há cerca de 20 anos e esta “ comunicabilidade ” parece indicar-me que a energia do futuro menos poluente e com mais potencialidades será possivelmente a Energia Solar.

sábado, 11 de novembro de 2006

Informação aos visitantes

Uma vez mais informo as e os visitantes deste blog que devido a um problema técnico ainda não me foi possível retomar a actividade normal. Talvez ainda hoje ou amanhã, domingo, consiga fazê-lo. Uma vez mais peço desculpas e aproveito para informar que o meu próximo post terá como tema principal o Sol, embora num ponto de vista mais filosófico.

sexta-feira, 10 de novembro de 2006

Pedido de desculpas

Por agora apenas peço desculpas a todos e a todas aqueles que têm visitado o meu blog e informá-los que devido a um problema técnico com o meu computador fui forçado a não escrever nada nos dias anteriores.
Obrigado e até breve.

segunda-feira, 6 de novembro de 2006

Quase um "apagão" europeu


No passado sábado, 4 de Novembro fui surpreendido por uma falha geral de energia na zona em que resido quando estava frente ao meu computador a navegar na Internet e mais surpreendido fiquei quando vi que ao redor de minha casa a escuridão era total num raio de pelo menos um quilómetro (a minha casa fica numa zona plana de baixa altitude), sendo as únicas excepções a área de serviço de Modivas na auto-estrada A28 e a fábrica da Lactogal também em Modivas, Vila do Conde.No dia seguinte, domingo soube através da imprensa que a falha havia sido motivada por problemas na Alemanha, sendo que hoje, segunda-feira apareceram mais pormenores como está escrito no artigo que transcrevo a seguir e que foi retirado do site do Diário de Notícias.

Falhas como esta põem em cima da mesa o problema das chamadas "novas energias". Sendo nós, Portugal dos países da Europa com mais horas de Sol por ano, porque não começamos a desenvolver a produção de energia eléctrica a partir de outras fontes, como a eólica e a solar há 10, 20 ou 30 anos atrás? Porque é que a Alemanha que tem muito menos horas de Sol por ano do que nós, é hoje, na Europa, o país mais desenvolvido no que concerne ao aproveitamento energético de fontes renováveis? Ainda na semana passada foi anunciado o início da construção de uma das maiores centrais de energia solar do mundo em Moura, no Alentejo, só que não foi dito que esse projecto foi inicialmente apresentado creio que em 2002 e que, se tivesse havido vontade política, essa central já estaria em pleno funcionamento desde 2004. Era na época Chefe do Governo em Portugal o actual Presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso. Mas o actual, José Sócrates que foi Ministro do Ambiente no Governo de António Guterres, é o Primeiro-Ministro de um governo que impõe limites à quantidade de energia que pode ser obtida a partir das fontes naturais, como o vento e o Sol (a questão das licenças e respectivos custos e concursos públicos). Na minha opinião, o governo deveria, apenas e só, definir as regras e aprovar todos os projectos, grandes ou pequenos, que as respeitassem.

O artigo seguinte foi retirado do site do "Diário de Notícias" de hoje, 6 de Novembro de 2006: http://dn.sapo.pt



"Não estivemos longe de um apagão europeu"



Ângela Marques*
O súbito arrefecimento das temperaturas na Renânia do Norte-Vestefália, Alemanha, terá sido o principal responsável pelo corte no fornecimento de energia que afectou vários países da Europa Ocidental, incluindo Portugal, na noite de sábado para domingo. Não houve registos de incidentes, mas fonte da Électricité de France afirmou que "não se esteve longe de um apagão a nível europeu".

A insuficiente produção de energia para responder ao repentino aumento do consumo fez "sobreaquecer" a rede de distribuição na Alemanha, que foi obrigada a solicitar o fornecimento de electricidade a França, provocando uma série de disparos automáticos na rede europeia para evitar um apagão generalizado, explicou Rhein-Ruhs, o porta-voz da RWE, um dos grandes grupos privados alemães de fornecimento de energia.

A EDF foi então chamada a fornecer gigantescas quantidades de energia à Alemanha para restabelecer o fornecimento de electricidade, causando importantes cortes no País que se repercutiram na Bélgica, em Espanha e em Portugal.

Os problemas ocorridos em duas linhas de muito alta tensão na Alemanha (400 mil volts) estiveram assim na origem do corte de fornecimento de energia em Portugal, que nada teve a ver com a situação de mau tempo que se viveu no país, explicou à Lusa fonte da Rede Eléctrica Nacional (REN).

"Em Portugal, o corte ocorreu às 21.10 de Lisboa e às 21.25 o serviço foi reposto", explicou ao DN a porta-voz da EDP Distribuição. O corte no fornecimento de energia afectou em Lisboa as zonas de Chelas, Entrecampos e Olivais, bem como a Linha do Estoril, incluindo Carcavelos e Cascais, onde só depois das 22.00 regressou a luz.

O litoral centro do País também foi afectado, mas o fornecimento foi reposto às 21.30, enquanto no Grande Porto e no Minho a energia voltou às 21.50.

Só em França, o "apagão" afectou cerca de cinco milhões de habitantes, o que significa que perto de 10% da população sentiu as consequências da falta de energia. Segundo os media franceses, houve relatos de pessoas presas em elevadores e numerosos lares no Rhône, Loire, Ain e Saône-et-Loite estiveram às escuras. De acordo com os bombeiros, 14 departamentos da região de Lyon foram afectados. A circulação dos comboios de alta velocidade foi mesmo interrompida.

Na Alemanha, o corte afectou cinco regiões. Centenas de milhares de pessoas do Norte da Vestefália, Baviera e Baden-Würtemberg, bem como a zona norte de Sarre e Renânia-Palatinado.

A polícia e os bombeiros receberam milhares de chamadas, mas não foram detectados incidentes de ordem pública nem alterações no tráfego aéreo e nos hospitais. Mais de uma centena de serviços dos comboios regionais foram interrompidos durante uma hora. *Com agências

domingo, 5 de novembro de 2006

Próximo dos Limites

Esta imagem foi obtida por mim há alguns meses atrás nas proximidades do local onde resido. O avião da imagem está em rota descendente para o Aeroporto Internacional Francisco Sá Carneiro em Pedras Rubras, Porto, Portugal.
Na minha opinião ilustra as potencialidades da tecnologia actual com o avião a passar tão perto das linhas de electricidade sem pôr em causa a segurança de ninguém, seja em terra, seja no ar.


Cumprimentos a todas e a todos em todo o mundo!


sexta-feira, 3 de novembro de 2006

Quem me dera ...


O poema que se segue foi escrito por mim em 1970. Era a época das viagens à Lua com tripulação humana, mas também das guerras do Vietname e, para nós Portugueses, da guerra colonial em África. Tinha eu nessa época os meus 14 anos e sonhava ... sonhava ... sonhava ... que um dia as guerras acabariam de uma vez por todas. Mas também já pensava que daí a poucos anos tinha o serviço militar à minha espera ... ou seja uma guerra da qual não sabia se voltaria. Talvez por isso, para me libertar desse pensamento negativo escrevi este poema que encontrei por acaso faz algum tempo enquanto arrumava papeis pessoais antigos.

Quem me dera poder voar,
cruzar os céus e os mares,
passar por cima de tudo,
dizer "adeus" à terra e às casas,
ir visitar o Sol,
contemplar a Natureza,
atravessar fronteiras,
poder visitar o mundo,
assistir aos combates,
às lutas, à guerra,
aos desastres e às mortes
e de noite, sob a luz
que a Lua reflecte
ir de encontro às estrelas,
sempre... sempre a voar,
a voar sempre mais alto,
mais alto, ainda mais alto,
perder-me na imensa escuridão,
ir visitar o Altíssimo
que lá das alturas
velava pela minha vida
para que em mim não penetrasse
a bala inimiga e fatal...
do caçador.

Quem me dera ser uma ave,
uma ave pequena e rápida,
ter asas, poder voar!

Estudos sobre ... automóveis

Será que algum dia iremos ter automóveis movidos a energia solar ... ? Talvez ...

quinta-feira, 2 de novembro de 2006

Energias ...


Há alguns dias foi anunciado pelo nosso primeiro-ministro, José Sócrates, que iria finalmente ser construida em Portugal - em Moura, no Alentejo - a maior central do mundo de produção de Energia Solar. Acredito que o fosse (a maior central do mundo) na época em que o projecto foi apresentado, mas entretanto os anos foram passando e o mundo não pára ao contrário dos burocratas políticos portugueses. Por curiosidade, um ou dois dias antes eu tinha lido uma notícia, durante uma das minhas viagens exploratórias na Internet que dizia algo semelhante (maior central solar do mundo) de uma central que estaria a ser construida em Murcia, Espanha. Mas, para mim o que mais me custa perceber é o seguinte: porque é que o Governo pede valores na ordem dos milhões de Euros às empresas que concorrem á atribuição das licenças para a produção de energia a partir das chamadas "energias renováveis"? Na minha opinião isso só contribui para encarecer o preço final ao consumidor.
Tambem não compreendo porque é que são definidos limites de capacidade de produção (uns tantos Mega Watts) para as centrais de produção das chamadas "energias renováveis", pois penso que o caminho a seguir deveria ser incentivar ao máximo a capacidade de produção de tal forma que a oferta superasse a procura.
Enfim, tudo o que é inovação parece ser um "alvo a abater" para os interesses instalados.
Até breve.

quarta-feira, 1 de novembro de 2006

Hoje, é só isto .. e pouco mais

Hoje, quero muito simplesmente agradecer a todos aquelas e aqueles que me visitaram e, já agora um agradecimento muito especial a Newmari de Valencia, Espanha e a Pryncesaazul de San Louis, Mexico.
Ah! E tambem ao Sol, a linda estrela que ilumina o nosso planeta - a Terra - e que hoje resolveu abrilhantar o lugar onde resido ... uma manhã algo nebulosa e uma tarde de sol de outono agradável.
Newmari: hoje li alguns dos teus posts antigos e digo-te que aquela coisa da RAE ou RALE me deu muita vontade de rir ... já agora, não sei bem se em Português se escreve tambem ou também. Nos meus tempos de escola primária escrevia-se também, mas agora parece-me que tambem (sem acento) é igualmente correcto. São as diferenças entre as chamadas línguas vivas e as línguas mortas ... Quanto ao poema, avisar-te-ei logo que o publicar. Gracias mil (para me ir habituando a escrever em Espanhol) por tudo o que escreves em Espanhol ou em Valenciano e ainda felicitações pelo apuramento da equipa de futebol do Valencia para os oitavos de final da Liga Europeia de Clubes ... o meu Sporting de Lisboa, Portugal empatou em Munique, espero que ganhe o próximo jogo em Milão ... e, quem sabe se não irá à final com o Valencia (com Miguel Caneira a jogar pelo Sporting) ? Saludos (saudaçóes) e até breve!
Pryncesaazul: agradeço-te a tua resposta e prometo-te que da próxima vez te dedicarei mais espaço. Sabes, é que quando escrevi o post que te enviei tinha um compromisso que não me deixava muito tempo e na primeira versão que tinha escrito cometi um erro na fase de "log-in and publish" pelo que tive de o voltar a escrever. Muitos cumprimentos!